Gravações inéditas de José Afonso

 

A Tradisom é uma editora discográfica portuguesa criada em 1992 em Macau. Também funciona como editora de livros relacionados com música portuguesa. Disponibiliza um amplo catálogo de música portuguesa e, agora, dois concertos de José Afonso nunca editados,  um de 4 de Maio de 1968 no Teatro Avenida, na tarde de arte da Queima das Fitas, em Coimbra (José Afonso e Rui Pato) e outro o 23 de Fevereiro de 1980, no salão da Sociedade de Instrução e Recreio de Carreço (José Afonso, Júlio Pereira, Guilherme Inês e Henrique Tabot).

A história que rodeou tais gravações é contada pormenorizadamente, em vários textos, ao longo das mais de 80 páginas que tem o álbum, pelo jornalista Adelino Gomes, que desafiou memórias e desmemórias para chegar à verdade possível por detrás das duas sessões, informa o jornal Público.

"Como se chegou até aqui? Devido a um extraordinário acaso, diz José Moças -fundador da Tradisom  ao PÚBLICO: “Eu estava aqui em Vila Verde com o Júlio Pereira, num carro de um amigo nosso, vocalista de um grupo que já não existe, os Raízes, ele põe um CD a tocar no carro e eu digo ‘Mas isto é o Zeca!’ E estava a falar, não a cantar. E quando começa a música, o Júlio diz: ‘Ah, mas eu estou aí a tocar!’ Tinha sido um amigo dele, de Carreço, que gravara um concerto do Zeca lá. Pedi-lhe logo o contacto, fui ter com ele, e tudo começou assim, num encontro ocasional.” E haveria mais coisas? José Moças pôs-se a fazer as suas pesquisas e descobriu outra pista, uma foto colocada na internet com a indicação de um concerto em Coimbra, em 1968, que teria sido gravado pelo professor Jorge Rino, já jubilado. Contactou-o e ele tinha mesmo a bobina"